Rogério Gonçalves

Estimular com limites

(*) Por Rogério Gonçalves – Instagram: @rogergoncalves.coach

Com o surgimento do capitalismo e a Revolução Industrial, no século XVIII, grupos de trabalhadores começaram a se unir de forma muito rápida nos grandes centros em busca de emprego e a necessidade de uma coordenação que organizasse as equipes, planejasse as operações e delegasse as responsabilidades foram ficando cada vez mais urgentes.

As empresas, em sua maioria familiar, iniciaram um processo de gerência hierárquica, e com um modelo típico militar da época, com visão de comando e controle que acabou sendo levado para dentro das indústrias.

Estes modelos, ainda pouco estudados na época, não levaram em consideração os conceitos de humanização no trabalho e motivação. O foco era o tempo, aumento da produção e lucro. Acreditava-se que os funcionários eram motivados apenas por recompensas salariais. Atualmente, todos os estudos da área consideram os fatores psicológicos e emocionais na motivação. O diferencial competitivo das organizações bem-sucedidas são as PESSOAS.

São elas que geram imaginação, criatividade, inovação. São elas que vendem, produzem, servem os clientes, tomam decisões, lideram, motivam, comunicam e dirigem os negócios da empresa. A maneira como elas fazem isso varia em muitas dimensões e essa variação depende do modo de lidar com pessoas e suas atividades. Ter uma organização ou equipe de sucesso hoje requer uma visão diferente daquela que pensa em gente como recurso, mas sim como sujeitos ativos e dotados da maior habilidade humana: a INTELIGÊNCIA.

As pessoas devem ser a prioridade dos líderes – SEMPRE

Quanto mais tempo na cadeira de gestão, maior é o volume de demandas para equilibrar. Qual líder já não viu seu calendário ser tomado por reuniões incessantes? O desafio aqui é abrir espaço para o que deve ser prioridade: as PESSOAS. Quantas horas você dedica para ouvir as pessoas e colaborar com o desenvolvimento delas? Qual foi a última vez que você ofereceu ajuda a uma pessoa talentosa com potencial sem que ela te pedisse?

O tempo é o nosso ativo mais valioso e cada interação com sua equipe pode ser planejada de forma intencional de acordo com seus objetivos. Então, te convido a adicionar o tópico “fortalecer a cultura” como um desafio individual na sua rotina. Como diz Adam Grant, “a maneira mais significativa de ter sucesso é ajudar os outros a ter sucesso”.

Expandir a sua generosidade fará com que você compartilhe mais ideias, ofereça mais feedbacks, fomente o desenvolvimento da equipe e especialmente a colaboração no seu ambiente de trabalho.

Resolução de problemas nas empresas

Resolução de problemas é um processo em que há o esforço deliberado de uma ou mais pessoas para sanar um assunto difícil ou controverso que precisa ser superado. Também pode ser uma ferramenta de ensino, utilizada especialmente na matemática, quando é criada uma situação real hipotética para ser resolvida com a aplicação de uma fórmula.

O contexto das empresas é especialmente propenso ao surgimento de problemas e conflitos. Afinal, diariamente, são tomadas decisões que envolvem diversas variáveis, e nem sempre o resultado é o esperado. Além disso, surgem imprevistos, fatores externos com os quais não se contava, contrários aos interesses da empresa.

Enfim, existem inúmeros tipos de problemas que podem surgir em um ambiente corporativo, envolvendo pessoas, processos, fenômenos naturais, repercussões midiáticas, transformações no mercado, entre outros. A resolução de problemas nas empresas, portanto, é o esforço de lidar com esses acontecimentos negativos e seguir em frente com o mínimo prejuízo à companhia e preservando a harmonia entre as pessoas na medida do possível.

Quem ocupa uma posição de liderança tem maior responsabilidade na resolução de problemas. No entanto, a capacidade de lidar racionalmente com o adverso deve ser estimulada como uma questão cultural da organização. Treinar os colaboradores nesse sentido é um investimento que vale a pena considerar, pois qualifica os relacionamentos e fomenta a colaboração entre as equipes.

Habilidades principais do líder de equipe

Qualquer que seja o tipo de EQUIPE que você esteja liderando, saiba que um bom líder de equipe é capaz de gerir e comunicar-se com a sua equipe com confiança. Confira a seguir as habilidades de que você precisa para começar:

GESTÃO DE METAS

Uma das coisas mais valiosas que se pode fazer como líder de equipe é responder à pergunta: Por que este trabalho é importante?

Quando os membros da equipe não entendem quais metas o seu trabalho apoia, eles ficam menos motivados a fazer um bom trabalho.

FAZER O TRABALHO AVANÇAR

Depois que a sua equipe compreender as metas que está apoiando, ela também precisará de uma forma clara de visualizar como atingirá esse objetivo.

Como líder da equipe, pense em si mesmo como o capitão do navio: você é responsável por orientar a tripulação rumo ao destino e descobrir exatamente como chegarão lá.

Há três elementos para garantir que o trabalho avance de modo eficaz:

  • Esclareça as métricas. Os membros da equipe não têm como saber se estão no caminho certo se não tiverem uma noção clara daquilo para que estão trabalhando. Por isso, antes de começar, estabeleça metas SMART para definir como vai mensurar o sucesso e criar metas mensuráveis.
  • Acompanhe o progresso. Não basta saber o destino — também é preciso saber a sua posição atual em relação à meta.
  • Comunique as atualizações. A melhor maneira de fazer isto é usando relatórios, que dão à equipe uma noção clara da situação atual, esteja ele em dia, em risco ou atrasado.

FORTALECIMENTO DA EQUIPE

Os líderes de equipe não são apenas gênios da organização por trás de um grupo de pessoas, mas também são responsáveis por encorajar e motivar a equipe. Para ser um líder eficaz, dedique tempo a fortalecer a equipe e certifique-se de que todos se sintam parte dela.

O fortalecimento da equipe começa por garantir que todos compreendam as metas da equipe, para que possam avançar juntos em direção à meta final, mas não termina aí.

Para fortalecer uma equipe eficaz:

  • Faça contatos periódicos.
  • Avalie o desempenho da equipe e anime os membros da sua equipe.
  • Dedique algum tempo a dinâmicas de fortalecimento do espírito de equipe.
  • Experimente fazer perguntas de quebra-gelo para conhecer melhor a sua equipe.

COMUNICAÇÃO

Como qualquer posição de liderança, os líderes de equipe precisam de excelentes capacidades de comunicação. Isto inclui a comunicação com os membros da equipe sobre o trabalho, assim como a coordenação com quaisquer parceiros interdisciplinares em prol das necessidades da equipe.

Em particular, a comunicação inclui tanto a dimensão verbal como a não verbal. De fato, grande parte da comunicação se dá pela linguagem corporal e expressões faciais. Entre os elementos importantes à comunicação há:

  • comunicação presencial ou individual;
  • comunicação assíncrona;
  • comunicação não verbal;
  • criação de bons vínculos;
  • compartilhamento de feedback;
  • escuta eficaz,
  • como escuta ativa;
  • eresolução de conflitos.

Habilidades interpessoais a exemplo da comunicação demandam tempo. Não se preocupe se a comunicação não é o seu forte agora. Se estiver começando a aprender a construir bons vínculos, primeiro faça um plano de comunicação.


Este é o esquema do conteúdo e dos canais de comunicação e o que é compartilhado durante as suas reuniões de equipe.

GESTÃO DA CARGA DE TRABALHO

Como líder de equipe, você é o responsável final por ajudar a sua equipe a atingir as metas. Parte disto consiste em garantir que o trabalho esteja em dia e que ninguém fique à beira do esgotamento psicológico.

Durante as reuniões da equipe e individuais, pergunte aos membros da equipe como estão sentindo em relação à carga de trabalho e se há algo que precisam remover da lista de prioridades, adiar ou delegar.
Como líder, você deve ter uma noção do que os membros da sua equipe têm sob a sua alçada. Mas isto não é algo que se pode ter sempre em mente, especialmente à medida que a equipe cresce.

Em vez disso, tente usar uma ferramenta de gestão de recursos para acompanhar aquilo em que cada membro da equipe está trabalhando. Isto é particularmente importante se os membros da sua equipe estiverem trabalhando em várias frentes, fazendo atividades de que você não necessariamente tem conhecimento.

Se tudo estiver num só lugar, você poderá ver rapidamente o que está sob a alçada deles e evitar o excesso de trabalho.

Conclusão

Grande parte do papel do líder de equipe consiste em providenciar assessoramento, treinamento e mentoria quando necessário. Os membros da sua equipe podem estar começando agora neste tipo de iniciativa ou podem ter dúvidas sobre como concluir uma tarefa em particular.

Se souber como resolver o problema deles, você pode dar assessoria quando necessário; do contrário, encaminhe-os à pessoa melhor capacitada para responder à pergunta em particular.

Mesmo que não seja um gestor de pessoas, você, como líder de equipe, é responsável por apoiar e encorajar os membros da sua equipe. Invista nas suas habilidades de liderança e desenvolva a sua inteligência emocional para poder apoiar os membros da sua equipe quando precisarem.
Não esqueça de compartilhá-lo em suas redes sociais!

Veja mais conteúdos no Instagram: @rogergoncalves.coach

One Reply to “Estimular com limites”

  1. Excelente texto!
    Faz toda a diferença o gestor priorizar as pessoas da equipe.

    Eliane Andrade Freire
    Gestora com atuação na Indústria Farmacêutica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *