Especialistas explicam diferença dos seguros de RC profissional e obras em live do Sincor-SP

Transmissão contou com executivos da DUAL International e da Tokio Marine Seguradora, além de membros das Comissões de Responsabilidade Civil e de Riscos de Engenharia e Resseguros do Sincor-SP – Para falar sobre o tema “O Seguro de Responsabilidade Civil na Engenharia”, as Comissões de Responsabilidade Civil e de Riscos de Engenharia e Resseguros do Sincor-SP receberam o diretor de Financial Lines e Casualty LATAM da DUAL International Limited, Humberto Pita, e o gerente de Underwriting e Riscos de Engenharia da Tokio Marine Seguradora, Luciano Martins, em live realizada nesta terça-feira (07/06). A transmissão aconteceu pelo canal da TV Sincor-SP, no YouTube, e está disponível no link.
Dando início à transmissão, Mauricio Leite, integrante da Comissão de Riscos de Engenharia, explicou a diferença entre o RC profissional e o de obras. “O seguro de obras tem coberturas de danos a terceiros decorrentes de acidentes causados por obras civis de construção e/ ou serviços de instalação e montagem. Já o RC profissional de erros e omissões cobre danos a terceiros causados em razão de falha profissional cometida por arquiteto ou engenheiro”, ressaltou.
O executivo da DUAL explicou que as apólices são complementares e que acabam tendo algumas interseções. “Quando pensamos na teoria, é muito mais fácil saber em qual apólice se encaixa. Por exemplo, o RC profissional é de cauda longa, que protege as falhas do arquiteto, engenheiro, quando a reclamação acontece depois da obra. Quando ocorre um sinistro e é apurado no momento, quem cobre é o RC obras.”
Martins complementou: “caso tenha dano a terceiro, se não seguiu nenhuma orientação aos projetistas foi um erro de execução, então, vai ser enquadrado no RC obras. Também pode ocorrer um cenário de não ter acidente, mas ter uma falha profissional, aí quem cobre é a apólice de profissional.”
Durante a abertura, o coordenador da Comissão de RC, Paulo Bosisio, afirmou que este é um tema pujante no mercado, que gera muitas dúvidas nos corretores de seguros. “Por isso, nós estamos trabalhando, trazendo especialistas no assunto com o objetivo de qualificar e levar as oportunidades a esses profissionais.”
Renato Cunha Bueno, coordenador da Comissão Riscos de Engenharia, completou que esta oportunidade de reunir os grupos é única. “Com tantas mudanças acontecendo no setor, que impactam diretamente o corretor, compartilhar cultura, educação e conhecimento é algo muito importante nos dias de hoje. Ainda bem que o Sincor-SP tem como objetivo principal orientar a categoria”.
O presidente do Sincor-SP, Boris Ber, agradeceu às Comissões pela dedicação e, principalmente, por compartilhar informação e conhecimento. “O mundo não pode parar e o Sincor-SP tem que acompanhar esse movimento, alertando o corretor para o futuro da profissão e as enormes transformações que estão por vir.”
A 1ª vice-presidente e responsável pela Assessoria Técnica, Simone Fávaro, destacou o trabalho realizado pelas Comissões e pediu: “corretores, entrem no aplicativo e verifiquem o calendário, pois vão se surpreender com o que esses grupos fazem dentro do Sincor-SP.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.